PESQUISA DE EQUIPAMENTOS

Pesquisa personalizada

segunda-feira, agosto 25, 2008

DOCKSTAVARVET CB-90. Uma super lancha de combate


DESCRIÇÃO
O estaleiro sueco Dockstavarvet projetou e construiu a lancha de combate CB-90 ir de encontro com requisitos do exercito finlandês e norueguês que precisavam de uma embarcação que transportassem 20 soldados equipados de forma rápida e segura e que fosse bem armada para poder se defender e mesmo prestar apoio de fogo as tropas próximas às margens dos rios onde operasse. Hoje há cerca de 300 unidades em suas diversas versões em operações na Finlândia, Noruega, México e Malásia. Recentemente uma CB-90 esteve em testes na Amazônia onde o exercito brasileiro pode avaliar as vantagens do uso desta excelente embarcação naquele ambiente. Porém, a falta de verbas direcionadas a defesa, mais uma vez, ditou a conclusão desta avaliação.
Acima: A CB-90 chega a uma velocidade máxima de 74 km/h. Porém uma versão especial equipada com motores mais potentes leva esta lancha a 90 km/h.
É interessante notar que não há no mercado uma lancha que possa ser considerada uma concorrente direta da CB-90 pelo fato de que seu desempenho não é igualado por outra embarcação com uso voltado para o ambiente fluvial e costeiro, sendo considerado impressionante. A CB-90 é capaz de acelerar até 40 nós (74 km/h), executar curvas rápidas e muito fechadas e ainda frear de 74/kmh até parar em 40 metros (2,5 comprimentos da CB-90), o que é considerado ótimo para esse tipo de manobra.
Acima. A Cabine de pilotagem da lancha CB-90 em uma das poucas fotos disponiveis do interior dela. As acomadações dela são consideradas confortaveis para esse tipo de embarcação.
Essa capacidade é proporcionada pelo sistema diferenciado de propulsão usado na CB-90, que é do tipo jato d’água. Dois motores Scania DSI-14 com 625 Hp de potencia cada que comandam duas unidade de jato de água fornecidos pela Rolls Royce. O sistema funciona como nos aviões de combate que usam vetoração de empuxo. O jato de água que sai dos dutos que vem do motor é direcionado por lemes montados na saída desses dutos. A vantagem desse sistema em operações fluviais é clara, pois não há hélices que possam ser danificadas por objetos submersos como troncos ou plantas. Ainda o calado da CB-90 é mínimo permitindo um se uso em águas muito rasas. Uma outra motorização, ainda mais potente pode ser instalada, no caso 2 motores DI-16M com 800 Hp cada.
O Casco da CB-90 é de alumínio e há proteção blindada nível 4 no compartimento onde ficam os soldados e no compartimento onde ficam os lemes. Esse padrão de proteção permite proteção contra tiros diretos de armas leves com calibre até o 7,62 mm.
Acima: O motor Scania DSI-14 é o coração da CB-90. Mesmo com a potencia de 625 Hp sendo suficiente para esta lancha dar um show na agua, há ainda motorizações mais potentes disponiveis caso o cliente assim prefira.
A capacidade de carga da CB-90 é de 20 soldados totalmente equipados que vão sentados e com bom espaço interno ou ainda 3000 kg de carga. O armamento padrão usado na CB-90 é composto por 2 metralhadoras Browning M-2 em calibre .50 (12,7 mm) controladas por controle remoto. Porém outras armas podem ser adaptadas como mais uma metralhadora M-2 operada diretamente por um soldado em cima da lancha, além de morteiros e mísseis Hellfire (o mesmo usado nos helicópteros Apache para destruir tanques de guerra). Podem ser usados também, lançadores automáticos de granadas MK-19 de 40 mm. Embora as armas já instaladas na CB-90 sejam essas, é claro que outros armamentos seriam facilmente integrados a essa lancha, como por exemplo, uma metralhadora de canos giratórios Minigun calibre 7,62X51 mm, que garantiria um volume de fogo espetacular a CB-90. Outro armamento que poderia ser integrado seria algum míssil antiaéreo de curto alcance do tipo MAMPAD como o Igla, Stinger ou Mistral, que seria usado contra helicópteros ou aeronaves de baixo desempenho que operassem sobre o teatro de operações.
Acima: Aqui podemos ver as duas metralhadoras M-2 calibre 12,7 mm montadas na proa da CB-90. O comando destas armas é feito de dentro da lancha garantindo segurança para o seu operador.
É lamentável que esse excelente sistema de armas não tenha sido adquirido pelo exercito brasileiro para operar nos rios amazônicos. Certamente que a capacidade de combate da força seria ampliada de forma exponencial com essa embarcação, tanto pela sua capacidade de transportar soldados e cargas com grande rapidez e a distancias de até 600 km como pela sua capacidade de combate.
Acima: Uma CB-90H em testes no rio Amazonas. Reparem na bandeira brasileira na popa da embarcação. A CB-90 causou uma impressão muito boa nos militares que tiveram o privilégio de testarem ela.
FICHA TECNICA
Tipo: Lancha de combate
Data do comissionamento: 1991
Velocidade: 40 nós
Autonomia: 600 km
Deslocamento: 20500 kg (Maximo)
Comprimento: 16 Mts
Boca: 3,8 Mts
Calado: 0,9 m
Armamaneto: 2 metralhadoras Browning M-2 calibre 12,7 mm montadas na proa, Lançador de míssil Hellfire, Lançadores de morteiros, Lançadores automáticos de granadas de 40 mm MK-19, Minas navais e cargas de profundidade.
Propulsão: 2 motores Scania DSI-14 com 625 Hp cada e duas unidades de jato d’ água Rolls Royce.

Acima: Um desenho com transparência da CB-90 para se ter uma idéia de como é por dentro desa engenhosa lancha de combate.


ABAIXO TEMOS UM VIDEO FEITO PELA DOCKSTAVARVET MOSTRANDO O TESTE QUE A CB-90 PASSOU NAS MÃOS DO EXERCITO BRASILEIRO NA AMAZONIA.

25 comentários:

diad1944 disse...

Oi Carlos, gostaria de saber qto custa uma lancha dessas e qtas seriam necessarias para nossas forcas.

obrigado

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá. Eu não encontrei o custo dessa lancha ainda. Um amigo meu me fez esta mesma pergunta essa semana. Mas creio que o exercito estaria bem servido com 100 unidades dela para operar em toda a região norte do país.
Abraços

Julielson disse...

Olá Carlos, que maquina fascinante é esta lancha, hein? E que espetáculo é este vídeo? Realmente muito legal, principalmente por ter sido rodado na nossa Amazônia e o com os nossos ainda poucos (contingente) porem, bravos homens do exercito na região amazônica. Bom, no meu ponto de vista a única coisa que não ficou muito bem no vídeo e não seu se você vai concordar, é a imagem do nosso velho FAL. Bem que poderia ser “pelo menos” os novos MD-97LC ou L, mas fazer o que. Deixo meus parabéns pelo seu belo trabalho com o blog, o melhor, os blogs, os quais eu sempre me surpreendo com a quantidade e fidelidade dos materiais. Parabéns!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Julielson. Muito obrigado pelas gentis palavras.
Abraços

Henrique disse...

Caros!! Excelente máquina de comabate, ressalto aqui que vejo a utilização da CB-90 não só na regiao amazônica, mas em outras partes do Brasil onde existem imensas fronteiras fluviais, como no pantanal e na região sul.

Parabens pela matéria!

Abraços!

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Obrigado Henrique! Abraços

welington disse...

Uma sugestão de uma possivel mteria, sobre o Navio-patrulha lança-mísseis Houbei Type 022, acho que seria uma otima materia.
Abraços.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Wellington.
Obrigado pela sugestão. Já coloquei na minha lista.
Abraços

Bruno disse...

Ólá carlos tudo bem?Faz algum tempo que tenho uma dúvida se tiver um tempo poderia me dizer se o lançador que aparece no vídeo "stridsbat 90" do youtube é um avenger ou não?Desde já agradeço um abraço Bruno.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Bruno. Não encontrei esse video. Se puder mande o link para eu poder ver.
Abraços

Bruno disse...

tudo bem Carlos?Para encontrar o vídeo que na verdade é uma sequencia de fotos você tem que entrar no "combat boat 90H"'ele vai aparecer na legenda de vídeos relacionados com o nome que passei antes entre 1:35 /1:45 minutos de vídeo nesta sequencia de fotos aparecem várias comfigurações da lancha inclusive com a torre AMOS e o míssil hellfire sobre os quais gostaria que fizesse um artigo,pois acho que ela cairia muito bem para nossas forças armadas.abraço Bruno.

Gilberto Rezende disse...

Oi Carlos, tomara que a compra desta embarcação seja reavaliada e instalem dois ou três reparos REMAX da Ares/Ctex (apresentada na LAAD 2009) na versão brasileira(com os dois motores de 800HP é claro) ficaria MUITO interessante!!!
Como esta matéria é de agosto de 2008 (antes da divulgação da END) quem sabe o EB reavalie a sua aquisição e assim que o REMAX entre em produção, ela seja adquirida, já que o reforço da presença militar na Amazônia é um ponto central da END.

Anderson Carias disse...

Olá Carlos...
Me diz uma coisa... está lancha poderia ser utilizado pelo Corpo de Fuzileiros navais? num casdo de apoio ao desembarque de tropas?? ou até mesmo pela marinha em patrulhas próximo a costa?

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Sem duvidas que poderia. Essa embarcação é ideal para uso dos fuzileiros, e de qualquer outra tropa que atue em areas ribeirinhas. O Exercito queria delas por aqui, mas não houve grana para isso. Mas a CB-90 estaria entre os 10 equipamentos mais interessantes para uso pelas forças armadas brasileiras.
Abraços

Ricardo disse...

O custo oscila entre US 1 milhao a US 1,5 milhao com sistema Lemur e Radar.

Carlosarguspandragons disse...

Parabéns pelo Blog , tem materia realmente excelente,é, de grande nível técnico. Mais seria mt boa a aquisição desta lanchas, ou uma congenere fabricada no BRASIL ;tanto pa o nosso glórios EB e p os FN , td com + poder de fogo. O + rapidamente póssível.

Probus disse...

Comandante Di Santis, salvas!!

Impressionante a qualidade dos seus Blogs (Naval, Aéreo e Terrestre), parabéns mesmo, de novo.
Lendo o artigo desta embarcação me veio a lembrança dos elites *GRUMECs que combinam muito bem com esta lancha, com os EC-725, os MI-35, a Amazônia Verde e, principalmente, a Azul e o seu Pré-Sal.

* Grupamento de Mergulhadores de Combate da Marinha do Brasil para operações especiais militares. É uma unidade de elite que existe a 35 anos no Brasil. Formou apenas 192 oficiais e possuem 50 ativos. O ex-Bope Rodrigo Pimentel reconhece: "Os Grumecs têm um diferencial de mergulho, guerra de selva, paraquedismo e outras especialidades, que tornam sua formação a mais completa de um curso de unidades especiais, e talvez uma das melhores em todo o mundo."

A duração do curso é de nove meses (o mais longo do Brasil) e inclui: Nado de cem metros com mãos e pés amarrados e, na mesma fase, dez quilômetros de natação em mar aberto, equipado com minas para explodir cascos, fuzis e todo o aparato de um combatente;
A seleção costuma eliminar até mesmo atletas da Marinha;
Houve edições em que ninguém concluiu o curso;
Um dos treinamentos tem como faina montar um bote em cima do submarino Tupi, navegar amarrado ao periscópio da embarcação à noite, remar até uma determinada distância da costa da Ilha Grande, nadar equipado e, perto da praia e mergulhar para invadir a enseada de Provetá/RJ.

A Petrobras chegou a produzir um comercial em que os mergulhadores de combate invadem uma plataforma cheia de sequestradores e reconquistam o território, mas ele acabou não sendo veiculado.

(Fonte: O Globo,24.10.2009)

Continências,

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Probus. Muito obrigado pelo elogio.
O Grummec começou com a formação de dois oficiais brasileiros no SEAL norte americano. O melhor grupo de operações especiais do mundo, em minha opinião. Sua doutrina é baseada no que eles aprenderam lá.
Abraços

Probus disse...

Comandante Di Santis, salvas!!

Sim Senhor, por isso lembrei dos Grumecs e suas caracteristicas para os MI-35, os EC-725 e a magnífica CB-90.

http://ciencia.hsw.uol.com.br/equipe-de-elite-navy-seals3.htm

Continências.

Fin Gal disse...

Muito interessante essa lancha, acho apenas que a blindagem deveria resistir a disparos de .50haja visto que em varias ocasioes as patrulhas tem que ser feitas em baixas velocidades.

Carlosarguscapopandragons disse...

Carlos , qdo tenho minhas dúvioda, eu recorro ao especialista, VOCÊ, então, a pergunta: O q vc tem sobre a lancha CV () usada pelso colombianos?!?!" desde já meu mt obrigado. O novo modelo está bem + facíl e objetico, parabéns.

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Carlos.
Eu li uns portfólios de duas embarcações fluviais colombianas fabricadas pelo estaleiro Cotecmar. Não me recordo os seus nomes e há pouca informação sobre elas na internet. Mas pelo que havia visto, a maior seria uma aquisição muito interessante a nosso exército pois além de bem armada, aceitava o pouso de um helicopteros tipo esquilo ou bell UH-1 na sua popa.
Mas eu conheço pouco sobre elas ainda.
Abraços

Guardião ATM disse...

Saudações Carlos!!!
Ja sabe o preço dessas máquinas?
E para costa, como patrulha, daria conta do recado? Quantas seriam necessárias pra atuar em todo litoral brasileiro?

Carlos E. Di Santis Junior disse...

Olá Guardião. Eu ainda não encontrei o cisto deste barco, mas sei que é considerado caro. Para patrulha litoranea, eu a considero inadequada. Uma embarcação maior se faz necessário como a Skjold, por exemplo.
Abraços

Leonardo Gomes disse...

execito tinha que compra omenos umas 500 lanchas